terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Santa Clarita Diet: uma série a ser devorada


Santa Clarita Diet é uma série original da Netflix. Criada por Victor Fresco e estrelada por Drew Barrymore e Timothy Olyphant, teve sua estréia mundial no dia 3 de Fevereiro de 2017.


A série acompanha a vida de um casal muito unido que está junto desde a adolescência, Sheila (Drew Barrymore) e Joel (Timothy Olyphant), eles trabalham juntos como corretores, moram no subúrbio e têm uma filha já cursando o colegial. 


A dupla leva uma vida pacata e normal, até que Sheila começa a apresentar comportamentos estranhos, totalmente inversos à sua personalidade. 
Ela vomita uma espécie de bolinha vermelha e começa a sentir vontade de comer carne crua, posteriormente, se transformando em desejo por carne humana, além da perda de sinais vitais. A partir desse momento, a vida do casal vira de cabeça para baixo e eles se vêem obrigados a lidar com essa nova realidade.

Apesar de a série ser muito sangrenta e não poupar os espectadores de cenas de vômito, a história em si é contada de forma descontraída, sempre tendendo mais ao humor do que ao drama. Os diálogos, carregados de palavrões e referências sexuais, seguem uma linha de "verdade nua e crua" dispensando eufemismos.


Por ser leve e bem humorada, é uma série viciante.Você começa assistindo um ou dois episódios, mas quando se dá conta, está maratonando.


A Netflix só liberou a primeira temporada por enquanto, então só nos resta esperar que as temporadas seguintes sejam tão boas quanto a primeira. Deixo abaixo o trailer pra vocês sentirem o gostinho dessa dieta:








terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Meio Mundo

Ficha técnica
Titulo original: Half the World
Ano de Lançamento: 2017
Edição: 1
Autor: Joe Abercrombie
Editora: Arqueiro
Páginas: 368
Tradução: Alves Calado







Sinopse: 

Thorn Bathu não é uma garota comum. Mesmo tendo sido criada numa sociedade machista, ela vive para lutar e treina arduamente há anos.
Porém, após uma fatalidade, ela é declarada assassina pelo mesmo mestre de armas que deveria prepará-la para as batalhas. Para fugir à sentença de morte, Thorn se vê obrigada a participar de um esquema do ardiloso pai Yarvi, ministro de Gettland. Ao lado dela se encontra Brand, um guerreiro que odeia matar, mas encara a jornada como uma chance de sustentar a irmã e conquistar o respeito de seu povo. A missão dos dois é cruzar meio mundo a bordo de um navio e buscar aliados contra o Rei Supremo, que pretende subjugar todo o Mar Despedaçado. É uma viagem desafiadora, em que Brand precisa provar seu valor e Thorn fará o necessário para honrar a memória do pai e se tornar uma verdadeira guerreira.


Meio mundo prende o leitor desde o inicio, com personagens envolventes em suas características individuais, nos faz pensar sobre justiça e lealdade. Os personagens tem suas características marcantes, mesmo alguns sendo muito jovens ao longo da história se mostram verdadeiros guerreiros, capazes de fazer honra a suas promessas e a sua lealdade. 

Com magia, profecias, Ruínas elficas e muitos poderes, o leitor é levado por uma viagem além do mar despedaçado, conhecemos o mar dourado, a primeira cidade que é maior que Thorlby, acompanhamos os personagens em suas jornadas, em busca de provação, Thorn nos mostra que uma mulher pode ser uma guerreira sim,  que vale a pena lutar pelo que se acredita, mesmo, que no campo de batalha uma luta por muitas vezes não é justa. Os personagens se provam ao longo da jornada, em busca de alianças contra o Rei Supremo, pelo Pai  Paz, com o retorno de alguns personagens marcantes de meio rei , o livro nos surpreende cada vez mais com a descoberta do amor, com a mudança que diversos personagens sofrem ao longo da jornada.

Com um final marcantes alianças nunca antes imaginadas, o livro nos deixa ansiosos pela continuação Meia Guerra, para saber o que acontece com os personagens, será que eles vão conseguir honrar seus juramentos, proteger aqueles que amam. Só nos resta esperar ansiosamente o desfecho épico da Trilogia Mar Despedaçado.


domingo, 12 de fevereiro de 2017

[Resenha] Uma semana para se perder



Título Original: A weeked to be wicked
Título no Brasil: Uma semana para se perder
Série: Spindle Cove - 2
Autora: Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Tradução: A.C. Reis 
Páginas: 288

Sinopse: “O que pode acontecer quando um canalha decide acompanhar uma mulher inteligente em uma viagem? A bela e inteligente geóloga Minerva Highwood, uma das solteiras convictas de Spindle Cove, precisa ir à Escócia para apresentar uma grande descoberta em um importante simpósio. Mas para que isso aconteça, ela precisará encontrar alguém que a leve. Colin Sandhurst Payne, o Lorde Payne, um libertino de primeira, quer estar em qualquer lugar – menos em Spindle Cove. Minerva decide, então, que ele é a pessoa ideal para embarcar com ela em sua aventura. Mas como uma mulher solteira poderia viajar acompanhada por um homem sem reputação? Esses parceiros improváveis têm uma semana para convencer suas famílias de que estão apaixonados, forjar uma fuga, correr de bandidos armados, sobreviver aos seus piores pesadelos e viajar 400 milhas sem se matar. Tudo isso dividindo uma pequena carruagem de dia e compartilhando uma cama menor ainda à noite. Mas durante essa conturbada convivência, Colin revela um caráter muito mais profundo que seu exterior jovial, e Minerva prova que a concha em que vive esconde uma bela e brilhante alma. Talvez uma semana seja tempo suficiente para encontrarem um mundo de problemas. Ou, quem sabe, um amor eterno.”

Em um primeiro momento, Minerva e Colin é um casal bem improvável, afinal são completos opostos. Quando essa pedra foi cantada ainda no primeiro livro, pensei: “Será?”. E Tessa Dare apresenta neste livro um trabalho impecável, ao escavar a personalidade dos personagens, mostrando facetas surpreendentes. Minerva é inteligente, espirituosa, responsável e dedicada a família Colin. é um libertino, mas também é sensível e vulnerável, devido a um trauma que carrega desde a infância. Assim como as moças do livro, ficamos tentadas a enchê-lo de carinho. 

Boa parte da ação do livro acontece durante a trajeto para a Escócia.O que era para ser uma viagem para tranquila vira uma grande aventura decorrente das histórias do Colin. São tantas situações hilariantes que ficamos chocados com a facilidade que o rapaz possui de criar enredos cheios de detalhes no improviso. Nada é premeditado. 

A relação entre o casal protagonista, inicialmente de gato e rato, vai se transformando à medida que se aproximam do destino final. Essa mudança é pautada tanto pela atração física quanto pela maneira que eles passam a se conhecer melhor com a convivência. E à medida que eles se apaixonam, também nos apaixonamos pelos personagens, e torcemos para que eles consigam atingir seus objetivos com a viagem. Uma noite para se perder é o meu preferido da série entre os que foram lançados no Brasil, e uma leitura divertida e apaixonante. 


(balada que Minerva canta durante o livro)


“Bem”, disse ele. “Certeza combina com você.”